menu
-Agenda Cultural
-Restaurantes
-Teatros
-Museus
-Comentários
-Fale conosco
-Política de Privacidade
-Utilidade Pública
-Links Feirense
-Artes Cênicas
-Artes Visuais
-Artesanato
-Bandas
-Literatura
-Músicos
ENTRETENIMENTO
-Cinema
-Arquivo de Eventos
-Festival Vozes da Terra
-Festival Gospel 2010
-Natal na Praça 2010
-Micareta 2011
-Últimos Eventos
-Radio Viva Feira
-TV Viva Feira
-Videos Viva Feira
COLUNISTAS
-Beto Souza
-Cezar Ubaldo
-Emanoel Freitas
-Fabiana Machado
-Luís Pimentel
-Maiara Santos
-Raymundo Luiz Lopes
-Sandra Campos
-Sandro Penelú
-Silvana Carneiro
 
 
 
7ª PALESTRA COM PESQUISADORES CHAMA ATENÇÃO DE ESTUDANTES E ENTUSIASTAS DOS “SISTEMAS COMPLEXOS”


Publicado em: 13/08/2019 - 18:08:54

    Na sétima edição da Palestra com Pesquisadores, o Museu Parque do Saber recebeu o professor Dr. Silvio da Costa Ferreira para falar de “sistemas complexos”. A palestra que aconteceu na segunda-feira, 12,  reuniu alunos e entusiastas da área no planetário do Museu.
    Doutor em Física pela Universidade Federal de Minas Gerais, o professor garante, os sistemas complexos não são de difícil compreensão. “Chama-se complexo, mas não significa que seja complicado. E está ligado diretamente ao nosso dia-a-dia”. Explica.
    Os sistemas complexos surgem em diversos campos de atuação - biologia, química, ciência da computação, geologia, física, astronomia, mecânica, e sociologia. “Hoje você aplica os conhecimentos sobre sistemas complexos em várias áreas, que vão de interações em redes sociais à propagação de doenças. A partir dela, estudamos temas modernos e atuais” declara o professor.
    A palestra aconteceu no Planetário do Museu. E na platéia, estava o intercambista Moisés Domingos Namila da Costa, aluno de mestrado em Ciências da Terra e do Ambiente, na Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS. Moisés veio da cidade de Nampula em Moçambique pelo ProAfri - Programa de Formação de Professores de Educação Superior de Países Africanos.
    Moises é Arquiteto e planejador físico,  já está no Brasil há dois meses. O convite para participar da palestra surgiu na UEFS, e ele não perdeu a oportunidade. “Para mim, sistemas complexos é uma novidade. Percebi a ligação com a minha área, já que quero estudar o meio urbano, as correlações entre as variáveis urbanas. Vou pesquisar mais”. Afirma o mestrando.
    Os alunos do Colégio da Polícia Militar também foram prestigiar o professor Dr. Silvio da Costa. Um deles foi Fernando dos Santos, que estuda o segundo ano do ensino médio. “Eu fiquei atento, e vou levar daqui um conhecimento mais avançado e qualificado sobre a física”. Declarou.
    Para o diretor do Museu Parque do Saber, Basílio Fernandez a palestra com Pesquisadores é importante para interação do público com especialistas da área científica. “Além de tratarmos de assuntos sempre importantes, também é possível estreitar a vivência de pesquisadores e cientistas com o público. Assim incentivando a pesquisa”.
    O Museu Parque do Saber é um dos equipamentos mantidos pela Prefeitura Municipal de Feira de Santana através da Fundação Municipal Egberto Costa.

AUTORIA: Release da Ascom Funtitec - Adriele Mercês
Fotos




MULHERES HEROÍNAS SAÚDAM MARIA QUITÉRIA

A feirense Celiah Zaiin presta uma singela homenagem à nossa heroína Maria Quitéria, no dia em que se comemorou a data de seu nascimento.

Publicado em: 28/07/2019 - 01:07:15

         Afirma Celiah que a história da mulher brasileira é antes e depois da heroína. Uma mulher à frente de seu tempo e com um legado para a história da mulher brasileira que não podia falar em público, não tinha direito a ter posses nem trabalho igualitário, não tinha garantia de saúde e educação e formação, nem participação na sociedade. Depois da guerra a mudança para a classe feminina começou quando o alfaiate não aceitou a costurar um uniforme masculino para a heroína, em respeito à figura da Mulher, acrescentando uma saia escocesa ao seu uniforme. Maria Quitéria também elevou o nome das mulheres que ajudaram com os doentes quando nem havia a classe de enfermeiras e médicas. Daí em diante a sociedade feminina se instalou.
        O general Pedro Labatut, enviado por D. Pedro I para o comando geral da resistência, conferiu-lhe as honras de 1º Cadete. No dia 20 de agosto foi recebida no Rio de Janeiro pelo imperador em pessoa, que a condecorou com a Imperial Ordem do Cruzeiro, no grau de Cavaleiro, com o seguinte pronunciamento:[17]
    Querendo conceder a D. Maria Quitéria de Jesus o distintivo que assinala os Serviços Militares que com denodo raro, entre as mais do seu sexo, prestara à Causa da Independência deste Império, na porfiosa restauração da Capital da Bahia, hei de permitir-lhe o uso da insígnia de Cavaleiro da Ordem Imperial do Cruzeiro.[17]
         Segundo o Livro de Batizados de São José das Itapororócas, no arquivo da Secretaria do Arcebispado, na Bahia (certidão de batismo de Maria Quitéria):
“Aos vinte e sete dias do mês de Julho de mil setecentos e noventa e oito, na Capela de S. Vicente, filial dessa Matriz de Licença minha, o Reverendíssimo Manoel José de Jesus Maria, filha legítima do Gonçalo Álvares de Almeida e de Quitéria Maria de Jesus.[1] Foram padrinhos, Antonio Gonçalves de Barros e sua irmã Josefa Maria de Jesus, moradores na freguesia de Àgua Fria, nada mais destra do que tudo para constar fiz este assento que por verdade assino.
    Maria Quitéria de Jesus nasceu no Sítio do Licurizeiro (cujo nome faz referência à Syagrus coronata), uma pequena propriedade no Arraial de São José das Itapororocas, na comarca de Nossa Senhora do Rosário do Porto da Cachoeira, atual município de Feira de Santana, no estado da Bahia. Foi a filha primogênita dos portugueses Gonçalo Alves de Almeida, lavrador, e Quitéria Maria de Jesus, ambos nascidos na colônia do Brasil.
    A primogênita trouxe aos pais extrema felicidade, modificando a solidão do casal do agreste. Quitéria tinha dois irmãos, Josefa e Luiz, Junto com seus pais, eles moravam em uma casa feita de taipa de pilão. Ao lado de sua casa, havia casebres onde ficavam os escravos de seu pai Gonçalo.
    Com 6 anos de idade, Maria Quitéria foi batizada. Na época da ocupação da Guiana Francesa e da anexação da Província Cisplatina, por volta de 1808, Maria Quitéria chegava à adolescência. Maria Quitéria encontrava-se noiva quando, entre 1821 e 1822, iniciaram-se na Província da Bahia as agitações contra o domínio de Portugal. Em janeiro de 1822 transferiram-se para Salvador as tropas portuguesas, sob o comando do Governador das Armas Inácio Luís Madeira de Melo, episódio em que ocorreu o martírio da freira Angélica, no Convento da Lapa.
    Em 25 de junho, a Câmara Municipal da vila de Cachoeira aclamou o príncipe-regente D. Pedro como "Regente Perpétuo" do Brasil. Por essa razão, em julho, uma canhoneira portuguesa, fundada na barra do rio Paraguaçu, alvejou Cachoeira, reduto dos independentes baianos. A 6 de setembro, instalou-se na vila o Conselho Interino do Governo da Província, que defendia o movimento pró-independência na Bahia ativamente, enviando emissários a toda a Província em busca de adesões, recursos e voluntários para formação de um "Exército Libertador".[10][12]
    No Journal of a Voyage (Londres, 1824), a inglesa Maria Graham, que viveu alguns anos (1821, 1822 e 1822) na Corte do Rio de Janeiro:"
"Maria de Jesus é iletrada, mas viva. Tem inteligência clara e percepção aguda. Penso que, se a educassem, ela se tornaria uma personalidade notável. Nada se observa de masculino nos seus modos, antes os possui gentis e amáveis."

AUTORIA: Reease da CZ-Produções
Fotos




ACADEMIA DE EDUCAÇÃO EMPOSSA NOVOS MEMBROS

Uma solenidade bastante concorrida marcou a posse de novos membros da Academia de Educação de Feira de Santana na noite do dia 6 de junho, no Auditório Profa. Terezinha Mamona, da UNIFTC.

Publicado em: 07/06/2019 - 17:06:00

    Quatro educadores passaram a integrar a Academia de educação na condição de titulares: O Professor Jorge Aliomar Barreiros Dantas, da área de Administração, docente da UEFS,  assumiu a cadeira numero 5 que pertenceu ao saudoso Edivaldo Machado Boaventura, falecido em 2018.
    As Professoras Ana Angélica Vergne de Moraes e Maria José Pacheco de Andrade Costa, ambas docentes fundadoras da UEFS, assumiram  as cadeiras 29 e 30, respectivamente e o Professor Cristiano Lôbo da Silva, atual diretor de Operações da Rede de Ensino FTC, assumiu a titularidade da Cadeira numero 31.
    Na mesma solenidade, foi concedido o título de Acadêmica Benemérita à Sra. Marilene Carneiro Barreto, ela que assume voluntariamente o cargo de Secretária da Academia de Educação desde a sua criação em 2007.
    A solenidade foi marcada por momentos muito especiais, com destaque para as peças discursivas, são só dos empossados como do Acadêmico José Raimundo Azevedo, ele que saudou os mais novos confrades em nome da Academia de Educação, fazendo uma  retrospectiva sobre o papel que cada um deles desempenhou e continua a desempenhar no cenário educacional de Feira de Santana.
    Dentre as autoridades presentes estavam o Presidente da Academia Baiana de Educação Professor Astor de Castro Pessoa, Diretores de outras unidades da FTC,  que vieram homenagear o Prof. Cristinao Lôbo, representantes da Igreja Católica, além de familiares e amigos dos novos acadêmicos.
    Em seus pronunciamentos, cada empossado deixou registrado o entusiasmo e o compromisso em continuar desempenhando seu papel de educador, agora na vanguarda, enquanto membro da Academia de Educação.
    Em suas palavras, o  Presidente da Academia de Educação, Prof. Josué Mello, expressou a certeza da valiosa contribuição dos novos membros naquele sodalício, que tem também o  objetivo de ser farol, quando procura, como órgão de pensamento coletivo, iluminar o caminho a ser seguido.

AUTORIA: Release da Academia de Educação de Feira de Santana
Fotos




JORNADA ODONTOLÓGICA ESTÉTICA REUNIU ESTUDANTES E PROFISSIONAIS NO CAMPUS DA UEFS


Publicado em: 03/06/2019 - 10:06:43

    Realizada entre os dias 30 de maio e 1 de junho, a 2ª Jornada de Odontologia Estética de Feira de Santana (Joefs) teve como tema “Uma abordagem multidisciplinar da estética orofacial”.  O evento foi organizado pela turma de formandos 2019.1 de Odontologia da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs).
    A Joefs contou com apresentações de trabalhos e palestras de 16 profissionais da área de Odontologia, que compuseram mesas de debates com os seguintes assuntos: hands-in de personalização e cimentação de pino, hands-on e facetas e hands-on de clareamento. O intuito da atividade foi discutir a relevância e responsabilidade da realização de procedimentos estéticos e seus avanços científicos e tecnológicos
    Micheline Costa, presidente da Comissão de Formatura 2019.1, afirmou que o evento teve maior número de adesão em relação ao ano passado, com participação de profissionais de Odontologia, além de professores, estudantes da Uefs, da Universidade de Ensino Superior de Feira de Santana (Unef), da Faculdade Maria Milza (Famam) e também da Faculdade de Ciências e Tecnologias (FTC).
    Iago Santos Souza, estudante da Unef, acredita na importância do evento, “é bom para agregar conhecimento e ficar inteirado das coisas mais novas dentro da odontologia, na área que vem crescendo muito, a estética”.

AUTORIA: Release da Ascom UEFS - FOTOS: Edvan Barbosa



MORADORA DE SÃO GONÇALO DOS CAMPOS É ELEITA MISS AFRO FEIRA DE SANTANA 2019


Publicado em: 23/04/2019 - 22:04:15

    Rosidalva de Araujo Dias de 28 anos, moradora do centro da cidade de São Gonçalo dos Campos foi eleita na noite da ultima quinta-feira (18/04) a nova Miss Afro de Feira de Santana. O CUCA -  Centro Universitário de Cultura e Arte esteve pelo segundo ano consecutivo lotado com a presença de familiares, torcidas organizadas e muita gente que foi para prestigiar o evento que já está na sua terceira edição. Durante quatro meses cerca de 60 mulheres negras de Feira de Santana e municípios que formam a sua região metropolitana participaram de um verdadeiro curso onde tiveram acesso a informações das mais diversas áreas como: Psicologia, Serviço Social, Direito, Literatura Negra, Saúde, e Segurança, além de dois cursos com fonoaudióloga. Segundo o idealizador e coordenador geral Val Conceição, o principal objetivo desse concurso é empoderar a mulher negra através do conhecimento, pois acreditamos que o conhecimento é o verdadeiro poder já que consideramos todas lindas. A realização de um concurso foi à forma encontrada para atrair nossas mulheres pretas para daí então desenvolvermos juntamente com elas todo esse processo. Costumamos dizer que existem dois momentos na vida das participantes do Miss Afro Feira de Santana, um antes e um outro depois do concurso e todas elas entendem a importância desse projeto.
    Apesar das dificuldades o Miss Afro Feira de Santana tem se consolidado como o principal evento de exaltação a beleza da mulher negra de Feira de Santana e região, desde 2017 está sendo realizado praticamente quase que cem por cento com recursos próprios apesar de terem surgido alguns importantíssimos parceiros mas que não cobrem o orçamento total que gira em torno de cinco mil reais e por se tratar de um concurso diferenciado ainda existe uma certa resistência por parte de possíveis patrocinadores por não entenderem a sua dinâmica. Para Marcos Tanferi, um dos coordenadores do Miss Afro, apesar disso acreditamos estarmos no caminho certo porque nessa 3ª edição a quantidade de brindes que as vencedoras receberam foi bem maior que ano passado o que significa para nós que os empresários pelo menos os do ramo de cosméticos já vêem o nosso evento como uma grande oportunidade de divulgar as suas marcas e produtos. Disse!

PREMIAÇÃO
    Por ainda não haver patrocinadores financeiros o Miss Afro Feira de Santana premia com dinheiro apenas a primeira colocada que recebeu a quantia de R$ 1.000,00, além de diversos brindes. A segunda e terceira colocadas ganharam brindes e a Miss Simpatia que é eleita pelas próprias finalistas também foi contemplada com variados brindes além de buquê de rosas.
A coordenação do Miss Afro Feira de Santana já pensa em um novo local para a realização da final. Para 2020 iremos buscar uma parceria para levarmos nossa final para um local maior pois o CUCA já não comporta mais o publico que se faz presente, infelizmente vimos  algumas pessoas irem embora devido ao Teatro Universitário estar lotado e com muita gente em pé ou sentadas nos corredores o que nos preocupou muito
pois prezamos muito pela segurança de todos. Disse Anne Santos, responsável pela logística do Moviafro. Val Conceição afirma que logo após a micareta, toda a coordenação irá se reunir para fazerem uma avaliação dessa edição do Miss Afro e com certeza ocorrerão algumas mudanças. Indianara Lima do bairro Rua Nova e Natalice Dias, moradora do bairro Santo Antonio dos Prazeres ficaram com a segunda e a terceira colocação respectivamente, já Railane Barreto de apenas 16 anos que é moradora do Bairro Aviário foi eleita a Miss Simpatia.

Rosidalva de Araujo Dias – Miss Afro Feira de Santana 2019
    Durante o andamento do concurso, são realizadas enquetes, fóruns de discussão e dois questionários que são respondidos pelas candidatas e as notas desses questionários influenciam diretamente no resultado final pois para a coordenação do Miss Afro não é interessante elegermos uma miss apenas pela beleza estética, para nós a Miss Afro precisa acima de tudo entender e conhecer a sua ancestralidade, seus direitos e seu verdadeiro lugar enquanto mulher negra na sociedade.

Indianara Souza Lima – 2ª Colocada

Natalice Dias de Santana - 3ª Colocada

Railane Lima Barreto – Miss Simpatia
    Nesta edição além do traje típico que foi confeccionado pela estilista Flavia Sacramento, as candidatas também tiveram o momento do traje de gala com vestidos cedidos por algumas lojas especializadas de Feira de Santana, o que abrilhantou ainda mais o evento e trouxe um momento de glamour que a mulher negra também merece e precisa ter. Além de desmistificar alguns conceitos impostos por uma sociedade racista e preconceituosa.


AUTORIA: Release da Ascom do Movimento MoviAfro de Feira de Santana -Val Conceição
Fotos




HEIDIANDERSON SILVA FOI O VENCEDOR DO FESTIVAL GOSPEL 2019


Publicado em: 15/04/2019 - 19:04:07

    Na noite deste sábado, 13, na praça Centro de Artes e Esportes Unificados - CEU da Cidade Nova, aconteceu mais uma edição do Festival Gospel, o vencedor que levou o prêmio de R$ 7 mil foi Heidianderson Silva.
    O compositor e intérprete da música” Não Pare de Sonhar” foi o último candidato da noite, mas não foi empecilho para animar a galera que vibrou ao som do cantor. Durante sua apresentação, ele levantou o público que lotou a praça com sua energia e voz marcante. Segundo Heidianderson o principal motivo para participar do festival foi levar sua música que fala de Deus e da força que devemos ter para não abandonar nossos sonhos, embora difíceis as lutas. “Esse prêmio eu agradeço primeiro á Deus, Ele é toda minha inspiração” afirmou o cantor.
    O prêmio de melhor intérprete foi para Junior Pedreira com  a canção “A carta”. Os jurados Roberval Barreto, Rogério Ferrer, Célia Zain e Ismael Reis avaliaram de acordo com as categorias letra, rima, métrica, poesia, harmonia e interpretação. O vencedor pela votação online foi para Leandro Umbelina com a música “Chamar de Filho”, que fez uma campanha marcante em suas redes sociais.
    O festival promovido pela Fundação Municipal Egberto Costa com apoio da Prefeitura Municipal de Feira de Santana ganhou nova formatação esta edição a fim de melhorar o evento. O investimento feito pelo Prefeito Colbert Martins Filho foi de R$14 mil em premiações.
    O Vozes Gospel também contou com apresentação da banda, Som Salvador, o “Axé Gospel” que abrilhantou ainda mais a noite da premiação.

AUTORIA: Release do Ascom Funtitec
Fotos




SARAU MULHER CELEBROU O FEMININO COM DEBATES, DANÇAS E LANÇAMENTO DE LIVRO


Publicado em: 30/03/2019 - 03:04:07

    O Espaço Terapêutico Psicologia Para Todos realizou o Sarau Mulher na noite de quinta-feira, 29 de março. As focalizadoras Joseane Mendes e Mary Figuerêdo ornamentaram o ambiente ilustrando esclarecimentos e interpretações explanando o gênero mulher.
    Karoline do Amaral, jovem escritora, contou um pouco da história de inspiração de seu livro “Versos Cafeinados para Maria da Glória”, inspirado na avó. O sarau aberto teve apresentação de poesias, reflexões e música. Contou com sorteios, e o fundamental, preconizou a raça feminina, o ser mulher, os embates enfrentados pelas mulheres em pleno século XXI.
    Mesmo com tantos enfrentamentos, as mulheres continuam passando por tantos vieses emblemáticos. E não se sustenta o porquê do cotidiano de acontecimentos tão vis.
    Em 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica em Nova York entraram em greve para reclamar a redução de um horário de mais de 16h por dia para 10h. Estas operárias recebiam menos de 1/3 do salário dos homens. Elas foram trancadas na fábrica onde aconteceu um incêndio. Cerca de 130 mulheres morreram queimadas. A partir daí em uma conferência realizada na Dinamarca, ficou decidido que aquele dia, o 8 de Março, institui-se o Dia da Mulher. O movimento em torno da emancipação cresceu, mas a dignidade e o papel dentro da sociedade continuam diminuídos pelas rudezas, machismo e os mais diferentes predicados não inerentes à raça.

AUTORIA: Release do Evento de Laísa Melo Britto
Fotos




FAMÍLIA VIAJA SEIS HORAS PARA CONHECER O MUSEU PARQUE DO SABER

Até a pouco tempo o único na América do Sul o Parque do Saber atraí visitas de toda a região, e mais atrairia se a divulgação a cerca de sua existência fosse mais dinâmica, e tivesse o mínimo de apoio da grande imprensa!

Publicado em: 09/01/2019 - 00:01:26

    O primeiro dia da Sessão de Férias no Museu Parque do Saber Dival da Silva Pitombo foi bastante concorrido. A maioria dos grupos de visitantes era de famílias. Uma delas veio da cidade de Ibipeba, distante 404 quilômetros de Feira de Santana. Uma viagem com duração de seis horas para conhecer o planetário e o ZKP4 Quinto - equipamento que projeta os filmes na cúpula.
    Eles foram recepcionados pelo diretor do Museu, Basílio Fernandez, e assistiram ao filme “ABC das Estrelas”. Preferiram não se identificar para a reportagem da assessoria de comunicação (Ascom) da Fundação Egberto Costa, autarquia da Prefeitura de Feira de Santana responsável pela administração do equipamento, mas compartilharam a experiência nas redes sociais e elogiaram o Governo Municipal pela estrutura.
    De acordo com Basílio Fernandez, o movimento neste primeiro dia superou as expectativas, inclusive ultrapassando a capacidade de assentos. “Consideramos um resultado muito positivo, especialmente pela quantidade de famílias presentes. O que proporciona as pessoas uma melhor companhia, com o pai, filho, tios, parentes”, observa.
    “Esse momento de aprendizado vai para casa. As pessoas conversam e acaba resultando, por exemplo, na compra de um telescópio, o interesse mútuo no assunto, continuação na internet, à extensão no aprendizado. Acaba sendo mais contundente, tem mais reverberações”, considera o diretor.
    Através da Fundação Cultural Egberto Costa, a Prefeitura Municipal de Feira de Santana tem colocado em prática os projetos de educação e tecnologia que vem se desenvolvendo dentro destes 10 anos do Museu Parque do Saber.
    A programação da Sessão de Férias continua nos próximos dias 10, 11, 16, 17, 18, 23, 24, 25, 30, 31/01 até 01/02, pontualmente às 15h00. As sessões públicas continuarão aos domingos, pontualmente as 17h00, no Museu Parque do Saber

AUTORIA: Release do Ascom Funtitec
Fotos




SOMOS TUDO ISSO MESMO: FEIRA NOISE 2018 FOI MARCADO POR DIVERSIDADE

Tema deste ano ecoou em todos os espaços do evento que terminou no último domingo (25), em Feira de Santana

Publicado em: 29/11/2018 - 09:11:51

    O final de semana foi marcado pelo Feira Noise Festival, que aconteceu pela oitava vez na cidade de Feira de Santana (BA), há cerca de 114 km de Salvador. Mais de 30 atrações passaram pela Concha Acústica do Centro de Cultura Amélio Amorim, levando ao público novidades da música brasileira contemporânea e reafirmado o evento como um dos maiores, mais respeitados e conceituados festivais de artes integradas do Nordeste.
    O tema deste ano, “Somos Tudo Isso Mesmo”, ecoou em todos os espaços do festival, colocando em pauta a diversidade de cores, credos, identidades e gêneros, representados pelos artistas que se apresentaram ao longo dos três dias de programação. Além dos shows, o público também prestigiou intervenções artísticas, graffiti ao vivo e a Feira Camelô, que evidenciou marcas e empreendedores locais.
    Uma das prioridades da produção este ano foi colocar mais artistas mulheres no palco. Teve representação feminina forte no rap, no rock, no pop e no metal, com nomes como a pernambucana Duda Beat, atração mais esperada do domingo (25). “É importante a gente estar dentro de um festival que está lutando por uma resistência cultural, ainda mais sendo interior da Bahia”, destacou a cantora e compositora disputada por grandes festivais Brasil afora.
    Rafael Costa, vocalista da banda santista Zimbra, comentou sobre a sua felicidade em poder tocar fora dos grandes eixos do Brasil. “O Brasil tem esse lance de ter um tamanho de um continente, em um dia você está tocando em Porto Alegre e no outro você está em Manaus. É maravilho sair de casa e ver que a galera curte o som da banda, independentemente de onde elas estão”, disse.
    Da cena regional, os juazeirenses da P1 Rappers representaram o rap baiano na programação. “Nós somos ribeirinhos. Temos esse som que é universal, que é o rap, mas temos referências muito extensas. No Vale do São Francisco nós que encabeçamos essa ideia de levar rap para o interior. Como hoje o rap vem crescendo no Brasil, no Vale não foi diferente”, contou o vocalista Euri Mania.
    Natural de Alagoinhas, Hiran trouxe o discurso de resistência do movimento LGBT em suas rimas. O também rapper que vem ganhando o país lembrou o quanto é difícil alcançar os meios de produção até mesmo dentro da cena do hip hop. “A gente vê no rap uma porta pra desabafar, ele é muito direto em sua fundação, é um protesto, mas a gente enquanto LGBT nunca conseguiu se encaixar”.
    O discurso de resistência também esteve presente no show da Dona Iracema. Na ocasião, a vocalista transexual Balaio falou sobre a aceitação de pessoas trans na cena do hardcore. “Há 1 ano eu decidi que ia começar a falar sobre este assunto e criar uma rede de apoio e aos poucos eu fui tomando coragem. Cheguei à conclusão que talvez seja hora de ajudar outras pessoas assim como Laura Jane Grace e Mina Caputo me ajudaram e outros cantores e cantoras trans e LGBT em geral”, comentou.
    DJ e produtor de Feira de Santana, Lerry disse que se sentiu “lisonjeado em participar da programação do Feira Noise” mais uma vez. “Eu já participei de outras edições com outros projetos e eu vejo que esse festival é o que a gente tem de melhor e onde a gente tem oportunidade de ouvir o que está sendo produzido no Brasil”, disse. “Nós feirenses ficamos às vezes até isolados por conta da falta de apoio do poder público, quando você tem a oportunidade de mostrar seu trabalho para artistas do Brasil todo é muito importante. É momento de lobby, de comércio, é como se fosse uma feira de música aqui pra gente”, concluiu.

AUTORIA: Assessoria de Imprensa | VAGALUME ASSESSORIA
Fotos




Mais Notícias

    Na noite deste sábado, 13, na praça Centro de Artes e Esportes U...

    O Espaço Terapêutico Psicologia Para Todos realizou o Sarau Mulhe...

    O primeiro dia da Sessão de Férias no Museu Parque do Saber Diva...

    O final de semana foi marcado pelo Feira Noise Festival, que aconteceu pela oi...

    Em sua terceira edição, o Bailares, festival de dança rea...

    Desafio é a palavra. E foi com a disposição de fazer a di...

    O que passa pela cabeça das pessoas quando veem alguém levando u...

    Aproximadamente 80 crianças e adolescentes do Núcleo Antôn...

    Invariavelmente nosso colaborador Beto Souza, retratista de carteirinha de Fei...

    No último sábado, dia 29 de setembro, discutiu-se sobre  se...


Página de 22
| | | | |

 

Apoio Cultural:



ExpoFeira

Higienizar

Viva Feira
New Page 1

 

© 2009-2016 Viva Feira - Todos os direitos reservados